Título: Avaliação nutricional de uma população infantil e sua relação com a prática de atividades de caráter físico
Autor: Caetano, Mariana Sofia Pereira
Palavras-chave: Atividade física
Alimentação saudável
Idade Pré-Escolar
Educação
Data: 2013
Editora: IPCB. ESA
Citação: CAETANO, Mariana Sofia Pereira (2013) - Avaliação nutricional de uma população infantil e sua relação com a prática de atividades de caráter físico. Castelo Branco : IPCB. ESA. 1 CD- ROM. Relatório do Trabalho de Fim de Curso de Nutrição Humana e Qualidade Alimentar.
Resumo: Introdução: Nos últimos tempos, tem-se verificado um crescente aumento da prevalência de excesso de peso nas crianças, e por isso, a alimentação desta faixa etária tem recebido grande atenção. Com a realização de vários estudos, tem-se chegado à conclusão de que a prática de exercício físico proporciona vários benefícios na vida da criança, melhorando as suas aptidões a nível social, psicológico e físico. É importante dar ênfase à escolha de um estilo de vida ativo, para que o desenvolvimento de cada criança seja o mais adequado. Neste momento, acredita-se que a educação alimentar tem resultados bastante positivos quando realizada em grupos etários mais jovens, daí ser essencial aplicar toda uma educação que permita prevenir a taxa de obesidade corrente nas crianças. Objetivo: O propósito deste estudo centrou-se em descobrir uma possível relação entre a prática de atividades extracurriculares de carater físico com o estado nutricional da criança em idade pré-escolar (4 a 6 anos). Avaliou-se também os comportamentos alimentares das crianças, para assim educa-las de maneira a melhorar o estilo de vida. Métodos: Foram avaliadas 46 crianças, divididas por género e por idade. Recolheram-se os dados antropométricos e dados referentes ao estilo de vida da criança. Avaliou-se o estado nutricional a partir do IMC (peso e estatura) de acordo com os critérios CDC (2002). Os comportamentos alimentares da criança foram avaliados através de um questionário de frequência alimentar, que foram preenchidos pelos encarregados de educação. Desenvolveram-se também ações de educação alimentar, de modo a incentivar a prática de uma alimentação diária saudável. Resultados: A maioria da amostra caracteriza-se por estar incluída no Peso Normal (51%), no entanto é de preocupar os 27,5% que se encontram em Excesso de Peso. Verificou-se uma associação positiva entre o percentil e o número de horas de sedentarismo por semana. A atividade ao ar livre que as crianças mais fazem é brincar no parque infantil. As atividades de educação alimentar melhoraram o modo como a criança distingue o que deve ou não comer. Conclusão: Do total da amostra, o sexo masculino é o género onde existe maior prevalência de Excesso de Peso (64,3%). O número de horas que as crianças passam a ver televisão ou jogar videojogos por semana é superior a valores de outros estudos já realizados. O facto de o estado nutricional da criança se relacionar positivamente com o número de horas de sedentarismo, mostra que quanto mais tempo a criança passa o seu tempo inativa, poderá contribuir para um aumento do seu estado nutricional. A criança, ao demonstrar que não escolhe somente um alimento que seja inteiramente a seu gosto, mostra que as atividades realizadas ao longo do tempo foram bem recebidas, e mais importante, foram bem interpretadas.
Descrição: Disponível na Biblioteca da ESACB na cota C30-28015TFCNHQA.
URI: https://minerva.ipcb.pt/handle/123456789/634
Tipo de Documento: Tese
Aparece nas colecções:ESACB - Nutrição Humana e Qualidade Alimentar

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TFC_RES_MAR_CAE.pdf161,34 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.